Spa-a-cmyk

Nova estrutura de funcionamento das Delegações

No âmbito de um amplo processo de reestruturação dos serviços da SPA, com vista ao reforço da sua capacidade e qualidade operacional, entrou em vigor, no passado dia 1 de Junho, o novo modelo de funcionamento das delegações da cooperativa existentes desde o Norte de Portugal até às Regiões Autónomas.

O número de delegações até agora de 13 é, nesta fase, fixado em 11, passando os delegados de Braga, Viseu, Coimbra, Faro e Funchal a ter vínculo directo à SPA, o que, antes deste processo de reestruturação, apenas acontecia com dois, os do Porto e de Leiria.



Aguardando o resultado da avaliação que se encontra a decorrer, com o objectivo de podermos dar seguimento ao processo em curso, encontram-se as três delegações da Região Autónoma dos Açores (Horta, Angra e Ponta Delgada).

Deste modo, a SPA passa a dispor de delegações permanentes com delegados vinculados à cooperativa em Braga, Porto, Coimbra, Viseu, Leiria, Lisboa (em fase de instalação e em paridade com as restantes delegações agora reestruturadas), Faro e Funchal.

Este primeiro e profundo passo dado no sentido da reestruturação destes serviços nevrálgicos da SPA foi objecto de um longo estudo e debate com a estrutura orgânica da cooperativa e com os delegados de todo o país, tendo em vista, em primeiro lugar, uma maior eficácia nas cobranças e uma significativa redução dos custos com essa operação, uma maior justiça entre as condições remuneratórias dos funcionários e os até agora colegas externos e ainda a adequação da estrutura funcional e orgânica da SPA à realidade económica e social do país em tempo de crise aguda.

Recorde-se que a rede de delegações e correspondentes constitui a linha mais avançada da cooperativa no terreno, em matéria de cobranças, de esclarecimento dos autores e dos usuários e ainda da sensibilização para o respeito do direito de autor a nível local. Esta estrutura, que a Administração da SPA com o apoio da Direcção e dos restantes corpos sociais põe agora em funcionamento, é, na perspectiva dos responsáveis pela vida da cooperativa, a que melhor se coaduna com a realidade interna da SPA e com a necessidade de se encontrarem soluções ágeis e modernas para a sua presença no terreno.

Esta é apenas uma primeira etapa de um amplo processo de reestruturação que terá novos desenvolvimentos até ao final do ano corrente.

Convicta de que a nossa cooperativa precisa de se modernizar em termos empresariais para ser capaz de ultrapassar as múltiplas dificuldades que se lhe deparam, a Administração da SPA anuncia aos cooperadores, em primeira mão, o início deste processo de reestruturação, certa de estar a avançar da forma mais correcta e conveniente para a defesa dos interesses da cooperativa.

Lisboa, 3 de Junho de 2011