Usuários

Toze_martinho_st

Pesar da SPA pela morte aos 72 anos do argumentista e actor Tozé Martinho

 A SPA manifesta o seu pesar pela morte, domingo 16,  aos 72 anos, no Hospital de Cascais, do argumentista e actor de numerosas novelas, séries e filmes nacionais estrangeiros. Morreu a meio da tarde vítima de paragem cardiorespiratória.
 
Tozé Martinho, nascido em Lisboa em 5 de Dezembro de 1947, filho de um médico, licenciou-se em Direito e foi uma figura central como argumentista na indústria da telenovela em Portugal que enriqueceu com o seu trabalho como argumentista, como actor e como organizador de projectos junto das grandes produtoras.
 
Ligou-se à SPA como beneficiário em 1984 e como cooperador em 16 de Janeiro de 1992.
 
Em 1977, Tozé Martinho estreou-se com a mãe (Maria Teresa Ramalho “Tareka”) em episódios do programa “A Visita da Cornélia”, onde evidenciou múltiplos talentos interpretativos.
 
Escreveu um livro intitulado “Dá-me Apenas um Beijo”.
 
Teve como argumentista e actor papel preponderante em novelas como “O Tempo e o Mundo”, “Amanhecer”, ”Dei-te Quase Tudo”, “A Outra, “Sentimentos e “Louco Amor”.
 
A sua estreia como argumentista de telenovela ocorreu com “Palavras Cruzadas”.
 
Teve intervenção frequente em filmes estrangeiros, com destaque para “Guerrillera”, de Pierre Kast, ”Le Cercle de Passions”, de Claude d’Ana, “Contrainte par Corps”,  de Serge Leroy, “Tricheur”, de Barbet Shroeder e também em “Sem Sombra de Pecado”, de José Fonseca e Costa.
 
Actores e amigos que com ele privavam sublinharam na hora da perda que “estava diminuído nos últimos tempos”. Estas dificuldades eram visíveis para quem com ele se encontrava na Sociedade Portuguesa de Autores. Os seus problemas de mobilidade levaram mesmo a cooperativa a investir nos equipamentos necessários para uma melhor acessibilidade dos autores com limitações físicas e em particular para o acesso aos elevadores e a vários serviços fundamentais. O AVC sofrido há dois anos e que teve agravamento estava na origem dessa visível dificuldade agora assinalada por colegas e amigos que também sublinharam as suas grandes qualidades humanas e criativas como argumentista e como actor que se tornou um grande galã das telenovelas portuguesas.
 
Tozé Martinho estreou-se como actor de telenovela na década de 80 na “Vila Faia”.
 
O governo mencionou numa nota de pesar “o seu papel nuclear no teatro e no guionismo” e o Presidente Marcelo Rebelo de Sousa, ainda em viagem à Índia, mencionou-o como “personagem empática, decente e confiável”. Com a sua experiência e talento, sabia construir e escrever telenovelas que rapidamente conquistavam um diversificado público atento.
 
Tozé Martinho, filho de “Tareka”, era irmão da escritora Ana Maria Magalhães que mantém há décadas uma parceria de grande êxito com Isabel Alçada. Era também sobrinho da escritora Isabel da Nóbrega. À família enlutada a SPA endereça nesta hora de perda o testemunho do seu sentido pesar.
 
O funeral de Tozé Martinho sairá na terça-feira, ainda sem hora definida, para o Cemitério Municipal da Guia, em Cascais.
 
Lisboa, 17 de Fevereiro de 2020