Post_facebook

Pesar da SPA pela morte de Miguel Ferraz membro da sua direcção e autor estimado

 A Sociedade Portuguesa de Autores manifesta o seu sentido pesar pelo falecimento inesperado do seu cooperador e membro efectivo da sua Direcção Miguel Ferraz, nascido em Lisboa em 30 de Maio de 1960. Miguel Ferraz morreu no Hospital de Santa Maria, em Lisboa. A SPA endereça à sua família condolências muito solidárias, recordando as qualidades autorais e humanas que faziam dele uma figura de referência no meio cultural. Como muitos disseram na hora da despedida, "morreu uma excelente pessoa, sempre disponível, amiga e solidária". Foi beneficiário da cooperativa desde Fevereiro de 1994 e cooperador desde Agosto de 2003.

Licenciado em Sociologia pelo ISCTE, Miguel Ferraz muito cedo se ligou ao meio da comunicação e das artes, na condição de autor, produtor e comunicador. 
 
Foi produtor executivo dos eventos musicais da Discoteca Loucuras (1987/89), assistente de produção dos concertos de Pablo Milanés (Coliseu de Lisboa, 1987) e dos "Trovante" (Campo Pequeno, 1988 e Coliseus, 1991).
 
Destacou-se igualmente como realizador de vários documentários e autor de livros como "Amália-Quis Deus que Fosse o Meu Nome" (Edições Fénix, 2015). Acabou de publicar há poucas semanas, com lançamento efectuado no Auditório Frederico de Freitas da SPA, o livro "A Arte de Brilhar no Palco e na Vida", sobre o cantor, empresário e prestigiado dirigente associativo Tomé de Barros Queirós, seu familiar, que foi presidente da Sociedade Protectora dos Animais.
 
Preparava, à data da morte, um documentário sobre avida e a obra do compositor e músico Luís Pedro Fonseca. Foi um dos autores do documentário "Portugal Culto e Oculto", com Rita Saldanha, entre outros. Esse trabalho tem vindo a ser exibido com êxito pela RTP 2.
 
Miguel Ferraz foi velado na Sala-Galeria Carlos Paredes, no edifício II da SPA, tendo o funeral seguido para o cemitério dos Olivais, onde foi cremado.
 
Lisboa, 22 de Julho de 2019