Premio_autores_2020_-_site

SPA atribuiu Prémio Autor e prepara agenda cultural para 2021 consciente das limitações impostas pela pandemia

 Apesar dos múltiplos constrangimentos impostos pela pandemia, a SPA atribuiu os Prémios Autor de 2020 cuja entrega não houve condições para ser efectuada no CCB-RTP 2 no final de Março. A cooperativa dos autores portugueses felicita todos os distinguidos e agradece o trabalho realizado por dezenas de jurados que cumpriram prazos e fizeram as suas escolhas. Não será possível realizar um acto público de entrega dos prémios pelas razões que o público em geral e os autores bem conhecem.

Haverá uma nova gala para a entrega dos Prémios da SPA no segundo semestre de 2021 em local e data a anunciar logo que seja possível. O local já não será o CCB e a transmissão televisiva não estará a cargo da RTP, por decisão unânime e definitiva dos órgãos sociais da SPA e do seu Conselho de Administração, sempre em defesa da dignidade e do interesse da cooperativa.
 
Entretanto, no dia 22 de Maio voltará a realizar-se na SPA, em conformidade com as regras impostas pela Direcção Geral da Saúde, a cerimónia para a entrega das Medalhas de Honra e dos Prémios Pró-Autor e também do Prémio de Consagração de Carreira e de outros prémios habitualmente integrados naquela cerimónia.
 
No primeiro trimestre de 2021 serão entregues os prémios Pedro Osório, José da Ponte, Igrejas Caeiro e de Melhor Jornalista Cultural, sempre com o respeito absoluto pelas regras de protecção impostas pela pandemia que continua a propagar-se, a fazer vítimas e a condicionar gravemente a nossa vida individual e colectiva.
 
A SPA continuará a ter como prioridades o reforço da solidariedade com a comunidade autoral, a manutenção dos seus compromissos salariais com dezenas de trabalhadores e o incentivo à actividade criadora de milhares de autores de várias disciplinas em todo o país.
 
Por outro lado, a SPA está prestes a negociar com o governo a criação de um eventual complemento cultural solidário em condições e moldes a definir. A cooperativa encontra-se, por outro lado a analisar com serenidade e rigor aspectos relacionados com a gestão dos recursos humanos e com a manutenção do seu património edificado em Lisboa, Porto e Reguengos de Monsaraz. A cooperativa, sempre consciente das suas responsabilidades e deveres, continua a ser um instrumento autónomo e soberano na vida de quem cria cultura e a difunde com seriedade e qualidade.
 
Ao longo destes meses, atribuindo prémios, apoiando intensamente a actividade criativa e participando no amplo debate sobre a solidariedade, a SPA nunca parou e continuará a realizar o seu trabalho, esperando que a utilização de uma vacina e a estabilização das condições sociais e de trabalho favoreçam a criação de condições que permitam ultrapassar os múltiplos condicionamentos impostos pela pandemia. Melhores dias hão-de chegar. Aqui deixamos também um testemunho de homenagem aos trabalhadores da saúde e de sentido pesar pelos muitos que já partiram.


 

 

Lisboa, 12 de Outubro de 2020