Mapeamento_do_territ_rio_cultural

SPA congratula-se com o desenvolvimento da investigação científica sobre a autoria em Portugal

 A SPA, que tem vindo a defender desde há vários anos a necessidade de serem desenvolvidos estudos académicos sobre a actividade autoral, verifica com satisfação a evolução desta linha de investigação já com resultados concretos.

Em 2016, a SPA e o Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa organizaram uma pós-graduação inédita chamada “Entidades de Gestão Colectiva e Direito de Autor na Lusofonia”, que formou dirigentes e quadros de diversas sociedades de autor dos países lusófonos. Posteriormente, a SPA, em parceria com o Centro de Investigação e Políticas Públicas (CAPP) do ISCSP-Universidade de Lisboa, promoveu, em 2018, o “Perfil do Autor Português”, investigação coordenada pelo Prof. Doutor Paulo Castro Seixas, documento que pela primeira vez efectua uma caracterização sociográfica dos autores portugueses.
 
Com o objectivo de prosseguir esta linha de investigação sobre um tema ainda tão pouco estudado pela academia, não obstante a sua enorme relevância, foi desenvolvida pela investigadora Inês Subtil (que já tinha integrado a equipa inicial do estudo sobre o perfil do autor português) uma tese de mestrado intitulada sobre as “Vulnerabilidades dos autores em Portugal”, cuja dissertação foi apresentada com sucesso no dia 19 de Fevereiro.
 
Ainda com o objectivo de se perceber cada vez melhor quem são, onde estão, o que necessitam e todo um conjunto de informações necessárias para compreender os profissionais da cultura em Portugal e contribuir para a definição das políticas públicas mais adequadas, o CAPP, presidido pelo Prof. Doutor Miguel Pereira Lopes, lançou recentemente um inquérito a nível nacional para efectuar o “Mapeamento do Território Cultural e Artístico”, projecto que tem a coordenação científica do Professor Doutor Paulo Castro Seixas e que pode ser consultado e preenchido também através do site da SPA.
 
A SPA saúda a Universidade de Lisboa, o ISCSP e o CAPP pela continuidade deste projecto e de outros que possam surgir neste âmbito e aguarda, com expectativa, os resultados e as conclusões, certa de que serão mais um importante contributo para a defesa dos autores e da actividade criativa em geral.
 
Lisboa, 25 de Fevereiro de 2021