Jaime-gralheiro_site

SPA Manifesta pesar pela morte do Dramaturgo Jaime Gralheiro

 A SPA manifesta o seu pesar pela morte, após doença prolongada, de Jaime Gralheiro, dramaturgo e advogado nascido em Julho de 1930, em Macieira, freguesia do concelho de S. Pedro do Sul. Jaime Gralheiro era associado da SPA desde Fevereiro de 1964 e seu cooperador desde Maio de 1977, tendo sido vice-presidente da mesa da Assembleia Geral nos anos 90 do século XX.

 
Em Abril passado, a Câmara Municipal de São Pedro do Sul homenageou o dramaturgo com a atribuição do seu prestigiado nome ao cine-teatro local, por cuja recuperação Gralheiro tanto se bateu.
 
O dramaturgo agora falecido foi um dos mais activos advogados portugueses, designadamente em todas as matérias que envolvessem a questão dos baldios e também na defesa de direitos essenciais dos cidadãos durante a ditadura. Também por isso foi um dos advogados homenageados pela Assembleia da República.
 
Ao longo de uma vida longa e activa, Jaime Gralheiro publicou dezenas de peças de teatro, depois de se ter estreado em 1949 com a publicação do texto "A Feia". A sua obra foi várias vezes premiada e em 1978 foi considerado o autor português mais representado do ano. A obra dramática de Jaime Gralheiro, homem de princípios, convicções e palavra firme e clara foi frequentemente representada por companhias profissionais e amadoras. Destacou-se ainda, a partir de 1975, como encenador de uma boa parte das suas peças de teatro.
 
Nos últimos anos canalizou a sua energia criadora para a escrita e publicação de obras de ficção narrativa.
 
Muito dinâmico no plano da cidadania, Jaime Gralheiro foi, logo após o 25 de Abril, o primeiro presidente da Comissão Administrativa da Câmara de S. Pedro do Sul, cabeça de lista do MDP/CDE, pelo distrito da Guarda, para a Assembleia Constituinte e depois candidato do PCP à Assembleia da República, pelo distrito de Viseu, até aos anos 90, nunca tendo sido eleito.
 
Na hora da partida, Jaime Gralheiro deixa no meio teatral e artístico português uma muito grata lembrança e sobretudo em todos quantos na SPA com ele conviveram e com ele se bateram pela defesa do direito de autor.
 
Lisboa, 20 de Junho de 2014