Manisfesto_lusofono_no_brasil-st

UNESCO atribui Dia Mundial à Lingua Portuguesa, uma das mais importantes do mundo também na cultura

 A Sociedade Portuguesa de Autores congratula-se com o facto de a UNESCO ter tomado, em Paris, a decisão de dedicar o dia 5 de Maio à comemoração da importância da língua portuguesa no mundo como instrumento de comunicação e de civilização para mais de 260 milhões de pessoas em quatro continentes. Foi a primeira vez que a UNESCO, que tem António Sampaio de Nóvoa como embaixador de Portugal, tomou uma decisão desta natureza em relação a um idioma.

A decisão da UNESCO contou com o apoio de países como a Argentina, o Chile, a Geórgia, o Luxemburgo e o Uruguai, tendo em conta que o português é a língua mais falada do hemisfério sul e de ter sido a língua da primeira fase da globalização, deixando marcas noutras línguas e culturas do mundo.
 
O Dia da Língua Portuguesa passará a ser oficialmente assinalado na sede da UNESCO em Paris com actividades musicais, literárias e com exposições, devendo o conteúdo do evento ser determinado pela comunidade dos países de língua portuguesa.
 
Este é também um passo importante para que a língua portuguesa venha a tornar-se língua de trabalho na ONU, estatuto de que gozam hoje o inglês, o francês, o espanhol, o chinês, o árabe, o espanhol e o russo. O português é ainda, com uma expressão crescente, uma das línguas mais usadas no domínio das redes sociais.
 
A SPA, que lidera um programa de cooperação no quadro da lusofonia, tem vindo a trabalhar no sentido de que a língua portuguesa tenha cada vez mais expressão a nível global. Com o seu esforço, a cooperativa dos autores de língua portuguesa já contribuiu para que o português seja já língua de trabalho na CISAC, confederação mundial das sociedades de autores e compositores.
 
 
 

Com a declaração da importância da língua portuguesa no mundo aprovada no princípio de Outubro de 2016 no Rio de Janeiro por sete sociedades de autores brasileiras e pela cooperativa dos autores portugueses ficaram abertas as portas para o trabalho realizado em Moçambique, em Angola, em Cabo Verde e em Timor Leste, designadamente com o apoio da Organização Mundial da Propriedade Intelectual (OMPI), agência das Nações Unidas com sede em Genebra.
 
Neste momento, a SPA apoia várias sociedades lusófonas na consolidação do seu esforço, caso da SOMAS em Moçambique, da UNAC em Angola e da SCM em Cabo Verde. Já este ano uma administradora da SPA dinamizou, com o apoio da OMPI, este trabalho de cooperação em Moçambique, Luanda e São Tomé e Príncipe. Neste momento a SPA, associa-se à comemoração dos 10 anos da MACA, sociedade de autores de MACAU que passou a declarar a língua portuguesa como língua de cooperação em vários eventos e trabalhos anuais, caso de um, disco com autores portugueses e chineses.
 
O presidente da SPA, José Jorge Letria, enquanto presidente do Grupo Europeu de Sociedades de Autores em Bruxelas, tem vindo a valorizar a importância estratégica da língua portuguesa. Recorde-se que a SPA editou uma antologia da poesia da língua portuguesa, acentuando a importância cultural da lusofonia.
 
Actualmente, a SPA tem em adiantada fase de produção, em parceria com a CMTV, um programa semanal de televisão apresentado por Carlos Alberto Moniz que dará espaço e voz a importantes criadores da lusofonia, sendo o primeiro programa com entrevistas, com música e outras actividades culturais a ir para o ar regulamente em Portugal.
 
A SPA felicita calorosamente a UNESCO por esta decisão e reafirma a sua disponibilidade e empenho no sentido de continuar, no domínio da cultura e das artes, a acentuar a importância da língua portuguesa, como instrumento poderoso de comunicação e cooperação.
 
Lisboa, 25 de Novembro de 2019