Pesar da SPA pela Morte de Francisco Nicholson

A SPA manifesta o seu pesar pela morte, aos 77 anos, do autor, actor e encenador Francisco Nicholson, associado da cooperativa desde 1960 e seu cooperador desde 1973. Francisco Nicholson foi membro da Administração liderada por Luiz Francisco Rebello entre Março de 1992 e Julho de 2001. Reformou-se da SPA em Setembro de 2003.

Francisco António de Vasconcelos Nicholson estreou-se no teatro com 14 anos e teve uma intensa actividade como actor, dramaturgo, guionista e argumentista, como encenador, como autor de telenovelas e êxito como autor de numerosos programas de televisão antes e depois do 25 de Abril.

De origem inglesa, Francisco Nicholson cresceu numa família ligada às artes. Estreou-se no teatro quando era aluno do Liceu Camões integrando o Grupo da Mocidade dirigido por António Manuel Couto Viana. O pai foi um dos responsáveis pela Automática Eléctrica Portuguesa.

Francisco Nicholson estudou pouco tempo no Conservatório, estreando-se como actor no Teatro do Gerifalto com o espectáculo infantil “Misterioso Até Mais Alto”, escrito por si.

Estudou em Paris privando como grandes nomes do teatro francês como Jean Vilar e Gérard Phillipe.

Foi, com Armando Cortez, actor e autor da série “Riso e Ritmo, que obteve grande popularidade na televisão portuguesa. Foi, entre muitas outras, autor das telenovela “Vila Faia”, de 1982, a primeira feita em Portugal. Também foi autor de “Cinzas”, “Os Lobos”, “O Olhar da Serpente”, tendo estado em vários destes projectos muito ligado a Nicolau Breyner.

Nicholson foi um dos autores da canção “Oração” com que António Calvário ganhou a primeira edição do Festival RTP da Canção. Foi também autor de muitas outras canções e de marchas.

Em 2014, já doente, editou o romance “Os Mortos Não Dão Autógrafos” (Esfera dos Livros). Disse na altura, numa entrevista, que só lhe faltava ganhar um prémio revelação.

Foi distinguido pelas Câmaras de Lisboa e de Oeiras com medalhas de mérito. Recebeu também a Medalha de Honra da SPA em 2012.

Foi um dos fundadores e principais figuras do Teatro Adóque, no Martim Moniz, logo após o 25 de Abril.

Participou em filmes como “Tentação”, de Joaquim Leitão. Foi guionista de outros filmes e teve colaboração regular dispersa por vários órgãos de comunicação.

Era casado com a bailarina e coreógrafa Magda Cardoso e pai da actriz Sofia Nicholson, a quem a SPA testemunha o seu pesar por esta dolorosa perda.

No momento em que este texto foi redigido desconhecia-se a hora e a data do funeral de Francisco Nicholson e o cemitério onde será sepultado.

Lisboa, 12 de Abril de 2016

Newsletter

Newsletter

    Contactos

    Av. Duque de Loulé, 31
    1069 – 153 Lisboa
    E-mail: geral@spautores.pt