Pesar da SPA pela morte de Maria Barroso, mulher de cultura

A SPA manifesta sentido pesar pelo falecimento de Maria de Jesus Barroso Soares, mulher de Mário Soares, fundadora do PS, ex-actriz e declamadora que soube resistir às proibições e condicionamentos vários impostos pela ditadura, ex-deputada à Assembleia Constituinte e à Assembleia da República, ex-presidente da Cruz Vermelha Portuguesa e, sem dúvida, uma das figuras mais destacadas, durante décadas, da vida cultural, cívica e política portuguesa, com um percurso que fez dela uma das mulheres portuguesas mais destacadas e influentes durante a segunda metade do século XX e no início do presente século. Maria Barroso, mãe de João Soares e de Isabel Soares, foi também a responsável pela organização e consolidação do Colégio Moderno como uma das mais importantes escolas portuguesas. Em 2010 Maria Barroso, associada a Luísa Maria Amaro, gravou os mais destacados poemas dos poetas do Novo Cancioneiro, gravação integrada num livro-disco que antologiou todos esse textos destacando o valor desse testemunho criativo. A SPA apoiou este projecto musical e poético.

Considerando a sua actividade como actriz de teatro e cinema e a sua intensa acção como divulgadora de poesia, mas também o seu interesse por todos os aspectos da actividade cultural e a sua simpatia e apoio à SPA, a nossa cooperativa distinguiu-a com a sua medalha de honra em 3 de Maio de 2010. Para além disso, Maria Barroso acompanhou e interveio em numerosas actividades promovidas pela SPA, com destaque para a entrega do prémio de Consagração de Carreira a Matilde Rosa Araújo e para muitos outros momentos da nossa actividade em diversas datas. A SPA sempre considerou Maria de Jesus Barroso Soares uma figura importante da vida cultural portuguesa, motivo pelo qual se associa ao pesar colectivo pelo seu desaparecimento.

Em todas as actividades que desenvolveu, designadamente como primeira-dama, Maria Barroso nunca deixou de se bater, antes e depois do 25 de Abril, pela liberdade dos criadores e pela dignificação do trabalho cultural e artístico como forma de promover Portugal e a sua economia, bem como uma imagem atractiva e apelativa do país no estrangeiro. Os criadores culturais sempre a reconheceram como uma aliada e uma amiga.

Saliente-se ainda a sua intensa acção solidária nas actividades que desenvolveu nomeadamente na Cruz Vermelha Portuguesa e na Pro Dignitate, onde teve sempre em consideração a defesa dos valores humanos e da dignidade dos cidadãos. Também no plano educativo manifestou sempre a preocupação de introduzir a cultura como um factor de qualificação individual e colectivo para o presente e para o futuro.

A SPA testemunha a Mário Soares e restante família o seu pesar e o significado que esta perda assume na presente fase da vida portuguesa.

Lisboa, 7 de Julho de 2015

Newsletter

Newsletter

    Contactos

    Av. Duque de Loulé, 31
    1069 – 153 Lisboa
    E-mail: geral@spautores.pt