As indústrias culturais e criativas na UE mostram o caminho para sair da crise económica

Tags: #GESAC #EY #culture #creation #growth #jobs #employment #Europe #creative Europe #digital
Links: www.creatingeurope.eu, www.authorsocieties.eu

Organizações Apoiantes: www.ace-cae.eu/fr/ Architects’ Council of Europe; www.aec-music.eu/ European Association of Conservatoires; www.aereurope.org/ Association of European Radios; www.eaca.eu/ European Association of Communications; www.composeralliance.org/ European Composer and Songwriter Alliance; www.egdf.eu/ European Games Developer Federation; http://epceurope.eu/ European Publishers council; www.fep-fee.eu/ Federation of European Publishers; www.filmdirectors.eu/ Federation of European Film Directors; www.scenaristes.org/ Federation of Screenwriters in Europe; http://impforum.org/ Independent Music Publishers Forum.

Bruxelas, 02/12/2014 – Um novo estudo publicado pela EY (antiga Ernst & Young) e apresentado hoje ao Comissário Oettinger, ao Comissário Navracsics e ao Vice-Presidente Ansip, mostra que as indústrias culturais e criativas estão entre os maiores empregadores da UE e conheceram um crescimento sustentável, mesmo em clima de recessão económica.

O estudo da EY publicado hoje enfatiza que as obras criativas são uma das principais fontes que alimentam a economia digital, a qual encabeça o plano das futuras políticas da Comissão Europeia. Jean-Noël Tronc, Administrador da sociedade de autores francesa SACEM, comentou que “Os sectores culturais e criativos são parte integrante da economia digital. As obras criativas são instrumentais para a criação de valor pelas redes e plataformas digitais”.

Numa reunião que terá lugar esta tarde com o Comissário Europeu para a Economia e Sociedade Digitais, Günther Oettinger, com o Comissário para a Educação, Cultura, Juventude e Desporto, Tibor Navracsics, e com o Vice-Presidente Andrus Ansip, o GESAC – Grupo Europeu das Sociedades de Autores e Compositores, em conjunto com os seus parceiros para este estudo, convidarão os políticos da UE a darem a devida atenção à importância dos criadores que alimentam as indústrias culturais e criativas na economia digital. Apesar do seu papel central no crescimento da UE, os direitos e os rendimentos dos criadores estão actualmente sob a ameaça dos intermediários na Internet, que colhem enormes benefícios sem que haja uma justa partilha desses benefícios com os criadores. O GESAC insta a Comissão Europeia e o Parlamento Europeu a encarar seriamente esta considerável ameaça para o ecossistema, no âmbito da modernização do Direito de Autor na UE.

Parceiros do GESAC para este estudo: www.eurocopya.org / European Federation of Joint Management Societies of Producers for Private Audiovisual Copying; www.evartists.org/ European Visual Artists; www.fiapf.org/ International Federation of Film Producers Associations; www.ifpi.org/ International Federation of the Phonographic Industry; www.impalamusic.org/ Independent Music Companies Association; www.ivf-video.org/ International Video Federation; www.saa-authors.eu/ Society of Audiovisual Authors.

Christophe Depreter, Presidente do GESAC, afirmou que “O estudo apresentado hoje demonstra que as indústrias culturais e criativas geram cinco vezes mais empregos do que as telecomunicações e muito mais do que os sectores convencionais, como as indústrias químicas, automóvel e da metalurgia e siderurgia. Estamos na era da informação e as obras criativas são a principal fonte da economia digital. Os criadores precisam de estar no centro da política da UE sobre o Direito de Autor, o que também irá alimentar uma economia digital mais diversificada e sustentável a longo prazo.”

À luz da modernização do Direito de Autor, recentemente assumida como uma das prioridades da Comissão Juncker, Jochen Greve, o argumentista alemão de séries televisivas de renome como Tatort e patrono da SAA, disse que “Este estudo fala do meu quotidiano enquanto criador. Quando eu trabalho em conjunto com os meus colegas criadores, compartilhando ideias e juntando as nossas histórias, estamos também a lançar as bases para os postos de trabalho de muitas outras pessoas que trazem as nossas histórias para a tela, assegurando, em seguida, que estas atinjem o maior número de pessoas por todo o mundo. Todo o valor económico e social subsequente, gerado pelas nossas ideias, tem origem nos nossos direitos de autor.”

Também argumentando a favor da manutenção de um sistema saudável de Direito de Autor, que permita aos sectores culturais e criativos continuarem a florescer na Europa, esteve Henrique Mota, Administrador da editora portuguesa Principia Editora e Vice-Presidente da Federação dos Editores Europeus (FEP): “Sem o Direito de Autor, haveriam cada vez menos livros, e todas as expressões criativas seriam significativamente asfixiadas. O Direito de Autor preserva a diversidade cultural, e com ela uma identidade europeia profundamente enraizada na sua versatilidade.”

O estudo exaustivo da EY “Criando Crescimento: Medindo os Mercados Cultural e Criativo na UE”, que analisa onze sectores das indústrias culturais e criativas (ICCs) por toda a Europa dos 28, mostra o enorme contributo destes sectores para o crescimento e o emprego na União Europeia. Representando €535.9 mil milhões de volume de negócios e mais de 7 milhões de empregos, as ICCs demonstram ter um peso económico impressionante, mas também as especificidades que podem servir de orientação para o resto da economia da UE:

  • As ICC apoiam-se consideravelmente na força de trabalho local, o que faz delas uma componente chave do desenvolvimento económico local.
  • As ICC também atraiem jovens trabalhadores que são particularmente afectados pelo desemprego na UE: destes, mais de 19% trabalham nas ICC.
  • Durante a recessão (2008-2012), o emprego nas ICC cresceu anualmente 0,7%, enquanto que o emprego global na UE diminuiu 0,7% ao ano.

O GESAC reúne 34 das maiores sociedades de autores europeias da União Europeia, Noruega, Islândia e Suíça.
Representa mais de 1 milhão de criadores e titulares de direitos nas áreas da música, obras audiovisuais, artes visuais, literatura e obras dramáticas, assim como editoras musicais.
Criada em 1990, a sede do GESAC é em Bruxelas.

Contacto GESAC
Aurelia Leeuw
+32 (0) 2 511 44 54
mailto:aurelia.leeuw@gesac.org

Contacto SPA
Vanda Guerra

  • 351 21 359 44 66
    mailto:dept.internacional@spautores.pt

O estudo “Criando Crescimento: Medindo os Mercados Cultural e Criativo na UE” poderá ser descarregado através do site www.creatingeurope.eu

Poderá aceder aqui a um breve resumo deste estudo em língua portuguesa

Newsletter

Newsletter

    Contactos

    Av. Duque de Loulé, 31
    1069 – 153 Lisboa
    E-mail: geral@spautores.pt