Somos contra a privatização do canal 1 da RTP

A anunciada privatização do canal 1 da RTP seria, na opinião da SPA, um erro grave para o futuro da televisão em Portugal. Em primeiro lugar, porque se traduziria no afastamento da programação diária de temas que, seguramente, não seriam do interesse das televisões privadas, mais preocupadas com a lógica das audiências e com os lucros da publicidade. Em segundo lugar, porque a programação de um canal público entretanto privatizado pouco espaço deixaria para a inclusão dos trabalhos dos autores e artistas portugueses. Em terceiro lugar, porque a existência de um serviço público de televisão constitui, num quadro mais amplo, um contributo para o aprofundamento da cidadania numa sociedade democrática, o que se torna ainda mais imperioso e indispensável numa grave situação de crise financeira, económica e social como é aquela que estamos a viver.

Por outro lado, a existência de um canal público de televisão representa, também no plano dos princípios, um sinal da responsabilidade do Estado em matéria de comunicação social, o qual não deve ser banido somente porque o tempo é de severa austeridade.

Por último, a SPA considera que a privatização da RTP1, a verificar-se, representaria também um sério retrocesso relativamente aos avanços registados nas últimas décadas em termos do que deve ser o serviço público de televisão. Se há cortes e restrições a pôr em prática, então que sejam efectuados de forma criteriosa no quadro vigente, não devendo, em circunstância alguma, traduzir-se na pura e simples eliminação de um canal de serviço público.

Lisboa, 19 de Outubro de 2011

Newsletter

Newsletter

    Contactos

    Av. Duque de Loulé, 31
    1069 – 153 Lisboa
    E-mail: geral@spautores.pt