SPA congratula-se com o fim do regime injusto de penhoras para os autores contra o qual sistematicamente se bateu

O Conselho de Administração da SPA congratula-se com a aprovação por unanimidade na Assembleia da República do projecto de lei do PS que altera o regime aplicável às penhoras sobre os rendimentos autorais, equiparando-o, de agora em diante, ao aplicado aos rendimentos auferidos através de contratos de trabalho comuns. O objectivo deste projecto de lei, que há tempos aguardava agendamento parlamentar, tinha como objectivo tornar o regime “mais justo e adequado aos titulares dos direitos de autor”.

Recorde-se que o Conselho de Administração da SPA se bateu insistentemente por esta alteração, que considerou inadiável e mais do que justa, desde meados de 2007, teve-se em consideração, não só o grande número de autores penhorados, mas sobretudo o facto de o regime vigente prolongar uma forma de injustiça intolerável que, na maior parte dos casos, se traduzia na condenação dos penhorados a verdadeiras situações de miséria. Por imperativo da lei, a SPA ficava impossibilitada de distribuir quaisquer direitos ou de promover qualquer outra forma de apoio assistencial que lhe fosse solicitado, incluindo o Subsídio de Emergência, já que esses valores imediatamente revertiam para os cofres do Estado.

O regime que até agora vigorou representava uma inaceitável forma de discriminação dos autores e do seu trabalho, que era ostensivamente menorizado e diferenciado relativamente ao abrangido por contratos de trabalho comuns. A SPA emitiu, ao longo destes anos, vários comunicados de denúncia da situação, alertando a opinião pública e mobilizando os autores em geral para este combate pelos seus direitos.

A SPA solicitou audiências a vários ministros da Finanças e secretários de Estado desta área e congratula-se agora com a forma como essa luta culminou no reconhecimento, por parte do Parlamento, de uma reivindicação mais do que justa, felicitando os autores do projecto de lei e reafirmando a sua disponibilidade e empenho no sentido de conseguir que outras situações igualmente injustas e penalizadoras sejam corrigidas ou abolidas.

Entende ainda o Conselho de Administração que bom seria que outros projectos de lei de igual importância e interesse para os autores portugueses não tivessem caído no esquecimento ou sido “neutralizados” pela actual maioria parlamentar.

Lisboa, 10 de Outubro de 2012

Newsletter

Newsletter

    Contactos

    Av. Duque de Loulé, 31
    1069 – 153 Lisboa
    E-mail: geral@spautores.pt